09/05/2019

ATUALIZADO! Bancada Evangélica da Câmara articula para derrubar flexibilização do porte de armas

Z|E|N

Deputados da bancada evangélica da Câmara articulam para tentar derrubar o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza o porte armas.

A liberação do uso de armamentos é umas das principais discordâncias dos religiosos no Legislativo em relação ao atual governo, registrou O Globo.

Com a força de 195 deputados inscritos – dentre eles a patrocinense Greyce Elias -, o grupo foi fundamental para a eleição de Bolsonaro.

PSOL, PT e Rede já apresentaram projetos de decretos legislativos que pedem a revogação integral da medida.

Os deputados evangélicos, porém, não querem apoiar as iniciativas de partidos de esquerda, e sim apresentar um projeto próprio, se for o caso.

NOTA OFICIAL

Relativamente às notícias veiculadas no dia de hoje sobre uma suposta articulação de deputados pertencentes ao segmento evangélico para derrubar o decreto presidencial que versa sobre acesso a armas de fogo, a FRENTE PARLAMENTAR EVENGÉLICA no Congresso Nacional assim se manifesta:

1 – A FPE não tem posição oficial sobre o referido decreto presidencial, e o assunto jamais foi debatido pelos membros da Frente.

2 – O que se viu foi uma manifestação isolada, portanto não se trata de posição oficial da FPE, a qual se manifesta publicamente por meio de sua presidência, na forma de seus estatutos.

3 – Contudo, cumpre lembrar que é da tradição protestante a defesa cabal da vida e da propriedade privada, como valores intrínsecos de uma sociedade verdadeiramente democrática. Portanto, se impõe a criação de mecanismos que possibilitem ao cidadão de bem efetivamente proteger seus bens, sua vida e de seus familiares.

4 – Por fim, quanto às ilações de que a suposta articulação para a derrubada do decreto ora em comento seria uma espécie de retaliação contra a criação de imposto que incidiria sobre bens e valores de propriedade de organizações religiosas, registre-se que o Senhor Presidente da República já se pronunciou em público ser totalmente contra a instituição desse tipo de tributo.

Brasília, em 9 de maio de 2019.

Deputado SILAS CÂMARA

Presidente da FPE