13/03/2018

Carinhosamente Chiquinho: os 5 anos do papa Francisco, o que desceu do trono

 

Há 5 anos, na noite de 13 de março de 2013 em Roma, o sorridente cardeal Jorge Bergoglio apresentou-se para uma Praça São Pedro lotada, se tornando, então, papa Francisco, o 266º sumo pontífice da Igreja Católica.

 

Sua eleição, por si só, foi repleta de ineditismos. Pela primeira vez, a Igreja Católica tem um líder latinoamericano. Pela primeira vez, um jesuíta. E, pela primeira vez, alguém adotava o nome Francisco – sugestão dada a Bergoglio pelo seu colega brasileiro, o cardeal emérito de São Paulo d. Claudio Hummes, que pediu a ele que não se esquecesse dos pobres.

 

Francisco imprimiu à conservadora instituição uma personalidade mais carismática, bem humorada, além de se envolver em questões mundiais urgentes.

 

“Francisco não veio repetir fórmulas e enrijecer respostas obsoletas e caducas. Francisco veio propor algo novo, como pastor da esperança e da alegria, especialmente aos jovens, aos migrantes e às famílias.” — diz o teólogo e filósofo brasileiro Fernando Altemeyer Junior.

 

( ZEN )