17/06/2008

CURSO “A VOZ NO TOPO DA PERFORMANCE” SUPEROU EXPECTATIVAS

Não só os profissionais da voz dependem dela para bem exercer o seu trabalho. A voz, como fala a célebre fonoaudióloga, Silvia Pinho, é um instrumento que todo indivíduo precisa para expressar-se com clareza, elegância e naturalidade.
Em seu curso “A voz no topo da performance” realizado no último dia 14 de junho, no anfiteatro do Unicerp, Sílvia abordou de forma simples a Fisiologia da Voz e também ensinou exercícios para a preservação e melhoramento vocal ao diversificado público participante que contou com radialistas, cantores, fonoaudiólogos, padres entre outros.

Necessidade

Segundo a palestrante que viaja por diversos países disseminando seus conhecimentos, o Brasil é considerado país de primeiro mundo em estudos da voz. “Temos um excelente conhecimento em laringologia e precisamos orgulhar de nossos profissionais e da educação nesta área”, comenta.
Ela acrescenta que o trabalho com a voz tem várias vertentes e na era da comunicação ela tornou-se fundamental. “Como a voz cantada, o empresário também precisa dela para ter uma oratória agradável. Os professores, para melhor serem entendidos e até a dona-de-casa precisa da voz para se expressar com presteza e convencimento”, comentou.
Como bem sabemos a idade influi na voz e para evitar que ela fique grave ou esganiçada, ela aconselha a dominar as técnicas de respiração e evitar forçá-la na parte da manhã.

Satisfação

O curso “A voz no topo da performance”contou com profissionais de outras cidades, inclusive alunos de cursos de fonoaudiologia de outros municípios que elogiaram a iniciativa do curso de Fonoaudiologia do Unicerp em trazer profissionais de excelente nível como Sílvia Pinho.
Para a coordenadora do curso de Fonoaudiologia do Unicerp, Profa. Marlice Oliveira, todas as expectativas foram superadas conforme relato dos participantes e à grande receptividade dos patrocinenses com a palestrante. “O curso foi muito interativo e Silvia mostrou com precisão diversos itens para a saúde vocal, principalmente como a pessoa deve falar, utilizar a musculatura respiratória, projetar a voz e mantê-la bonita. Tanto os docentes quanto discentes do curso de Fonoaudiologia sentem-se orgulhosos em ter participado e também por terem trocado experiências com um vasto e rico público de cerca de 200 pessoas”, finaliza.

Karina Rúbia