19/08/2019

Em Editorial, Difusora também rebate o vice desidratado

Z|E|N

Na classe, o Grupo Difusora de Comunicação respondeu ao ‘desabafão’ do politicamente desidratado vice prefeito Gustavo Brasileiro em seu Editorial de hoje (19).

A reflexão foi levada ao ar no tradicional ‘Comentário do Dia’ pela voz do decano do rádio rangeliano, José Maria Campos, titular da atração.

O MAISUMONLINE compilou algumas frases de ZMC e toma a liberdade de divulgá-las aqui neste espaço virtual, pois fazem coro a nossa humilde opinião.

“A imprensa rangeliana – falada ou escrita e agora também pelas redes sociais – sempre foi autêntica e isenta em todos os sentidos. Sempre fez o que deve ser feito, divulgar as coisas boas e criticar em alto nível aquilo que é necessário.”

“Ninguém até agora – pelo que nós conhecemos nesse nosso tempo de imprensa – calou a nossa imprensa não. Já tentaram, mas não deu em nada, pois aqui sempre tiveram grandes profissionais da comunicação e empresas de comunicação que tem um nome a zelar.”

“E deixando mais uma vez bem claro, a imprensa de Patrocínio – a legítima imprensa – não tem lado, nunca teve, nem nunca foi ‘situação’ e nem ‘oposição’. Nosso partido tem um nome: Patrocínio. Sempre repudiamos aqueles agentes políticos que tentam tumultuar a ordem social e cronológica dos fatos, buscando metas ambicionistas e incabíveis a qualquer custo.”

“A imprensa patrocinense sempre soube e sabe melhor que muitos agentes políticos o que é melhor para Patrocínio. O que é bem feito pelos nossos políticos aplaudimos em nome da população. O quando não é bem feito nunca furtamos as nossas críticas, que são feitas em alto nível, sem ofensas sem arrogância.”

“Pedro Alves do Nascimento, Sebastião Elói dos Santos deixaram para todos nós da imprensa em seus compêndios o legado de conhecimento e de respeito para com o ser humano. Que é sempre combater o bom combate.”

“Se a oposição está fraca que seus agentes procurem fortalecê-la com competência acima de tudo. Se a situação está forte por favor não culpem a imprensa, procurem exercer uma boa política.”

“O dever da imprensa é divulgar as coisas erradas dando sugestões para sua solução e não promover ataques ofensivos aleatórios, açodados, como foi dito em um editorial no final de semana em uma rede social. Foi a nota triste do final de semana.”

“A busca desenfreada pelo poder passa, e a imprensa fica. A imprensa de Patrocínio é e sempre foi atuante. Aprendemos com os velhos mestres da comunicação: elogiar sem bajular e criticar sem ofender.”

Vale ou não vale (mais uma) reflexão..?