07/07/2019

MAPA tira 6 marcas de azeite das prateleiras

Z|E|N

Azeite de oliva de seis marcas foram proibidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de serem vendidos no Brasil, após a fiscalização encontrar produtos fraudados e impróprios ao consumo, fabricados de forma clandestina.

Os produtos das marcas Oliveiras do Conde, Quinta Lusitana, Quinta D’Oro, Évora, Costanera e Olivais do Porto estão sendo recolhidos dos supermercados de todo o país.

O MAPA alerta para que o consumidor desconfie de azeites mais baratos, pois podem ser fruto de fraudes.

“Atualmente, o azeite de oliva é o segundo produto alimentar mais fraudado do mundo, perdendo apenas para o pescado”, alerta o Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal (Dipov) do Ministério.

A adulteração e falsificação de azeite de oliva, além de ser fraude ao consumidor, é crime contra a saúde pública.

O verdadeiro azeite de oliva tem preço a partir de R$ 17, enquanto os falsificados custam em média entre R$ 7 e R$ 10, alerta o MAPA.