• IWEBIX Content Slider

  • Mastologista da Santa Casa explica por que ainda precisamos do ‘Outubro Rosa’
    11/10/2017 - 16:54:53

     

    É chegado outubro, e com ele a campanha de conscientização a cerca do Câncer de Mama. O Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos e alcançou o mundo. Chegou ao Brasil no ano de 2002 e desde então tornou-se um movimento tradicional em todo território nacional. Mas depois de tanto tempo, será que ainda precisamos falar sobre isso? Dra. Marcela Rosa Dias, Mastologista do Corpo Clínico da Santa Casa, nos explica porque este mês é tão importante para as mulheres.

     

    Sim, ainda precisamos porque a cada ano no Brasil mais de 57mil mulheres são acometidaspor esta doença e mais de 14mil mulheres falecem em decorrência deste tumor.  São números que falam por si mesmos.

     

    Ainda precisamos porque a grande variável que define a probabilidade de cura do câncer de mama é o estágio em que ele é descoberto. Ou seja, quanto menor a lesão, maior a chance de cura do tumor. Também a possibilidade de cirurgias menos mutiladoras é maior quanto menor a lesão descoberta.

     

    O diagnóstico e o tratamento do câncer de mama vêm se aprimorando ao longo do tempo, mas,apesar de toda a evolução, a mamografia continua sendo a principal arma do diagnóstico precoce de câncer de mama.

     

    O Instituto Nacional do Câncer (Inca) recomenda que a mamografia seja feita a cada dois anos, dos 50 aos 69 anos – faixa de maior incidência de câncer de mama. Mas organizações como a Sociedade Brasileira de Mastologia, a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo), o Colégio brasileiro de Radiologia e a Femama (Federação Brasileira de Instituições Filantróicas de Apoio à Saúde da mama) defendem a mamografia anual a partir dos 40 anos.

     

    A recomendação de mamografia anual a partir dos 40 anos baseia-se em estudos realizados na Suécia que mostraram uma queda de 15 a 30% na mortalidade após implementado o rastreamento populacional com mamografia periódica.

     

    A grande polêmica acerca da realização da mamografia antes dos 50 anos foi gerada devido um trabalho de pesquisadores canadenses que acompanharam 90 mil mulheres entre 40 e 49 anos e verificaram que 1 em cada 5 casos de câncer de mama diagnosticados pelo exame durante o estudo não representavam uma ameaça a saúde, portanto não precisaria ser combatido com qualquer tipo de tratamento. É o que se chama de “overdiagnose”, isto é, diagnóstico exagerado. De fato, alguns tumores não evoluem de modo lesivo, mas mesmo pequenos tumores podem ser muito agressivos. Como ainda não há maneiras de diferenciá-los, removem-se e tratam-se todos. Devemos também considerar que a realidade do nosso país é bem diferente da situação canadense e o acesso aos serviços de saúde não são equiparáveis.

     

    Vale lembrar que a realização do rastreamento por mamografia para mulheres a partir dos 40 anos é um direito garantido por lei em nosso país (Lei 11.664 de abril de 2008).

     

    Diante destes fatos, não temos dúvidas que levar conhecimento e oportunidade de diagnóstico precoce a todas as mulheres ainda é um objetivo a ser perseguido. Então…. que venha  mais um Outubro Rosa!

     

    E, como forma de incentivo a prevenção, neste mês de outubro, a Santa Casa de Patrocínio está com preços especiais nos exames de mamografia e densitometria óssea! Aproveite e marque seus exames através do telefone (34) 3839 1092.

     

    Santa Casa de Patrocínio, saúde é a nossa razão de ser! Contato: 34 3839 1000