14/07/2009

Sequestro seguido de estupro em Patos de Minas é solucionado em Patrocínio

A Polícia Civil de Patos de Minas apresentou na tarde de segunda-feira (13), os rapazes acusados de cometer um seqüestro relâmpago seguido de estupro naquela cidade.

O crime que aconteceu na madrugada de sábado (11) não foi noticiado para preservar a identidade das vítimas. Especua-se que sejam da alta sociedade patense. A informação é do site patosnoticias.com.br.

Segundo a publicação virtual da terra do milho, o casal de amigos retorna de um casamento, quando foi abordado pelos bandidos próximo a Avenida Marabá, por volta de 2h de sábado (11). O jovem foi colocado no porta-malas do carro de um dos autores e levado até uma carvoaria, onde ficou aprosionado.

A jovem foi levada por dois dos meliantes no carro da vítima até a cidade de Patrocínio, onde, de posse dos cartões de créditos das vítimas, hospedaram num hotel da cidade e no dia seguinte realizaram saques nos terminais bancários.

Durante toda a noite que esteve no hotel, a jovem foi abusada sexualmente pelos marginais. De acordo com o Delegado Regional Márcio Siqueira, ela chegou a pedir socorro na recepção, mas seu apelo foi em vão. Funcionários do hotel ainda serviram cerveja para seus “hospedes”.

Durante a investigação foram presos Ivan dos Santos Pereira, Daniel Nunes de Castro e Renato Braga Silva. Todos eles confessaram o crime e contaram sua participação, com os acusados ainda foram encontrado o carro utilizado no crime, uma arma artesanal capaz de atirar com projéteis calibre .38 e cartucho .36, dinheiro e droga. Marcelo Graciliano de Paula, que seria o líder da quadrilha, continua foragido.

O Delegado Regional Márcio Siqueira questionou os procedimentos do Hotel e está estudando a possibilidade de responsabilizá-lo também pelo crime. Segundo o delegado, os funcionários não fizeram o registro dos hóspedes que é estabelecido por lei. O delegado ressaltou que este procedimento não tem sido cumprido em vários hotéis da região, o que tem dificultado e muito a polícia em suas investigações.

Segundo informações, os meliantes terão uma recepção bastante ‘calorosa’ quando adentrarem às dependências do presídio Sebastião Satiro.