30/10/2009

Verdades

Muita gente pensa em ser grande.
Ótimo!
Grande na vida, nos negócios, no status, na sociedade e em tudo o mais. Só pensa nos prazeres, na conta bancária, e tudo o mais, mas se esquece da principal coisa da vida.
Deus o supremo Senhor de tudo.
Poucos pensam na importância das coisas pequenas; aparentemente insignificantes. Como as pequenas pedras do caminho de um grande edifício. Coisas de todos os dias na vida da gente. Coisas pequenas que constroem o edifício de nossa personalidade.
Muitos preferem praticar ações heróicas lá uma vez ou outra, do que praticar todos os dias os pequenos deveres de cada dia. Mas não é assim. Nossa vida é feita de coisas pequenas. Não como um fardo pesado, mas um enriquecimento suave e alentador.
Por exemplo, a mãe de família constantemente dedicada aos afazeres do lar. Sempre atenciosa e solícita com os seus filhos e sua casa. Não parece aos olhos dos outros o heroísmo de suas atenções, porque aparentemente são coisas pequenas. Mas, quanta paciência feita de amor está praticando a mãe carinhosa no decorrer de um dia depois do outro, anos a fio, a vida inteira.
Assim acontece com tantas outras pessoas, cônscias de suas obrigações cotidianas, com um semblante sorridente a cada instante de cada dia que passa.É o amor que valoriza as coisas pequenas. E as torna grandes. Tão grandes que se tornam sublimes.
Orgulho, arrogância não pesam nada.
A balança de nossa vida e de nossos atos está nas mãos de Deus! E pode esperar que a felicidade virá, talvez até com mais saúde, alegria, bênçãos de Deus.
Abraços,
Fidalma