06/08/2011

10º homicídio: Homem é executado em bar na Praça da Matriz

A Polícia Militar registrou na noite de sexta-feira (05.ago) mais um homicídio em Patrocínio.

O crime ocorreu na Praça da Matriz, há cerca de 100 metros da casa do atual prefeito e onde a movimentação de pessoas, mormente jovens, aumenta significativamente nos finais de semana.

Segundo informações da PM, dois indivíduos ocupando uma motocicleta modelo Falcon pararam em frente um bar localizado na esquina da Rua Governador Valadares com a Rua Otávio de Brito, bem no início da Praça da Igreja Matriz.

O passageiro teria sacado uma arma de fogo e efetuado vários disparos a queima roupa contra Sérgio Andrade Cordeiro, 31 anos, que estava sentado numa mesa com uma mulher. Cinco tiros atingiram a cabeça da vítima que morreu no local.

Segundo a PM, esta não foi a primeira vez que tentaram matar Cordeiro, vítima de tentativas de homicídio em outras ocasiões. Este é o décimo homicídio registrado em Patrocínio neste ano da graça de 2011.

Banalização

Interessante também foi notar o quanto a violência está banalizada nesta terra rangeliana. Em meio a ação de policiais e detetives, que fecharam as imediações do bar tanto no sentido da Governador Valadares esquina com Major Tobias quanto na Otávio de Brito esquina com a Cesário Alvim para as investigações, a movimentação na Praça da Matriz continuou intensa, som alto e gente bebendo numa boa.

Também para efeito de registro, cumpre-nos lembrar que este é o segundo homicídio registrado na cidade tendo como pano de fundo a Praça da Matriz.

O primeiro aconteceu no ano passado, no dia 3 de dezembro, quando o jovem Igor Otávio de Abreu, de 16 anos, foi executado com 5 tiros, a 30 metros do portão de entrada da casa do prefeito.

Uma bala perdida chegou a atingir a residência que fica entre a casa do prefeito e de seu pai, perfurando uma janela. Por sorte, o impacto com o vidro diminuiu a velocidade do projétil que caiu ao solo.

É meu amigo, minha amiga… A violência, antes prerrogativa dos bairros periféricos, já se institucionalizou no centro da cidade. Só não vê quem insiste em não enxergar.