04/02/2014

Nem o mais otimista dos torcedores da SEP poderia prever uma vitória tão maiúscula como a de domingo, em Uberaba, na abertura do Módulo II 2014.

A goleada de 4 x 1 imposta ao Nacional, campeão da Terceira Divisão Mineira, deu ânimo e confiança a jogadores, treinador, torcida e – claro! – à ‘nova’ diretoria da SEP, formada em sua grande maioria por diretores de times amadores da cidade.

Mas, porém, todavia, contudo e entretanto, se a equipe foi muito bem na sua primeira partida no certame, a ‘nova’ diretoria saiu de campo capengando no quesito ‘respeito’ àqueles que – num passado recente – deram uma importante parcela de contribuição para a volta do futebol profissional a Patrocínio.

Após a vitória de domingo, alguns dirigentes não pouparam críticas a percalços vividos pela diretoria ‘anterior’, se esquecendo que a chamada ‘diretoria anterior’ é a que figura no contrato social da Sociedade Esportiva Patrocinense Ltda.

É bom registrar aqui neste espaço que, até a presente data, o jovem Fernando Romão (irmão do radialista da Rádio Difusora, Christiano Romão) ainda figura como presidente da SEP… O rapaz anda apreensivo com a falta de interesse com que essa ‘nova’ diretoria age quando o assunto é a formatação de um novo contrato social.

Fazer futebol – principalmente no interior – não é fácil, afirma com a veemência que lhe é peculiar o ex-diretor do CAP, da SEP e comentarista da equipe de esportes da Difusora, Walterson Silva. É preciso responsabilidade e respeito, sintetiza.

Falar sobre dívidas é bastante fácil. Mas contraí-las é mais fácil ainda, principalmente devido ao alto custo de viagens, estadias, alimentação, arbitragem, salários de jogadores, técnico, comissão técnica e mais as ‘despesas flutuantes’.

E todo mundo sabe que essa ‘nova diretoria’ da SEP já entrou devendo. Além dos 6 mil reais (mais o pagamento das energia) assumidos com o aluguel do Hotel Fazenda Recanto da Serra – ‘cedido’ para ser a ‘concentração’ do time -, a inscrição dos jogadores contratados foi parcelada em 3 cheques junto a Federação Mineira de Futebol.

“E se essa ‘nova’ diretoria teve crédito pra isso, com certeza esse crédito veio devido ao comportamento que a diretoria anterior teve junto a FMF.” – afirmou uma pessoa ligada diretamente ao futebol profissional rangeliano.

Portanto, cabe a essa dedicada e abnegada ‘nova’ diretoria da SEP Ltda. não somente colocar o time em campo e comemorar (ou justificar) junto a torcida e a imprensa os bons e maus resultados… É preciso E NECESSÁRIO também assumir juridicamente toda e qualquer responsabilidade da Sociedade Esportiva Patrocinense.

Afinal, ninguém quer ver o triste episódio da derrocada do CAP sendo repetido de novo, novamente e outra vez na cidade… Para quem não se lembra, o fim do CAP não causou somente a tristeza dos torcedores mas, principalmente, a decepção e o prejuízo financeiro de boa parte do comércio local.