03/02/2010

Atendendo a pedido dos vereadores, Câmara vai realizar Audiência Pública sobre Zoneamento Escolar

As comissões permanentes de Legislação, Justiça e Redação e de Educação, Saúde e Assistência da Casa de Leis convidaram a imprensa local para uma coletiva na manhã desta quarta-feira (03/02), na Câmara Municipal. Destas comissões fazem parte os vereadores Cássio Remis, Cláudio Alcântara, dr. Ari, Marcilene e Marta Elias.

O objetivo do encontro foi informar à mídia local sobre a realização de uma Audiência Pública para debater o ‘Zoneamento Escolar’, imposto pelo governo 23 aos estudantes da rede estadual e federal neste início de ano. O evento vai acontecer na quinta-feira (11), a partir das 19 horas, no Plenário da Câmara e promete ser movimentado.

O zoneamento escolar é o assunto da moda atualmente em Patrocínio. A ação do governo 23, embasada em Lei Estadual, de fazer com que os alunos, de uma hora pra outra, passassem a estudar em escolas próximas as suas residências, de olho numa sensível economia para o município em se tratando do transporte escolar, tem sido contestada por pais e professores. A grande maioria é frontalmente contrária a mudança.

Sentindo a importância do momento, os vereadores se uniram com o intuito de dar voz e vez à população de se manifestar sobre a mudança. O vereador Cássio Remis, presidente da Comissão de LJR, enfatizou que o Zoneamento, da forma que foi instituído, “em cima da hora e totalmente desordenado, está prejudicando de forma direta o filho do trabalhador patrocinense. E isso não pode acontecer! Nossa intenção é debater o assunto até esgotá-lo, nem que tenhamos que ficar aqui a noite inteira.”

O vereador do PSDC salientou que, independente de fazer parte da base de apoio do prefeito na Câmara, vai contestar com veemência a implantação do Zoneamento, “que foi feito sem nenhum estudo por parte de pessoas gabaritadas para tal.” – enfatizou.

Cássio Remis ainda informou que os vereadores, verdadeiros representantes do povo, não foram nem sequer convidados a participar de um debate sobre o assunto, “Ficamos sabendo que esse Zoneamento Escolar iria ser implantado através da imprensa”, e voltou a criticar o estado precário da frota escolar que está transportando os alunos neste início de ano letivo, “Se a frota que aí está continuar a trabalhar vai haver uma grande evasão escolar, pois os pais não estão deixando seus filhos serem transportados pelos ônibus que estão rodando por aí. E isto é preocupante.”

O vereador/médico José de Arimatéia (PHS), também se mostrou sensível à causa. Preocupado, ele observou que durante a polêmica dos ônibus escolares, quando o governo 23 levou a Câmara centenas de pessoas com o objetivo de pressionar os vereadores para votarem o projeto que autorizava a prefeitura a contrair um empréstimo de R$ 10 mi para compra de ônibus escolares, o discurso ficou empobrecido.

“No afã de aprovar o ‘Caminho da Escola’ a administração municipal se preocupou com o ‘Caminho’, mas se esqueceu do mais importante, a ‘Escola’. Hoje, o que estamos vendo em Patrocínio em se tratando de educação pública é que o professor finge que ensina e o aluno finge que aprende. Enquanto isso, a qualidade do ensino no município cai assustadoramente e estamos assistindo uma cidade bem menor que a nossa, Monte Carmelo, ser destaque estadual nesta área.”