12/05/2014

Baixas temperaturas recomendam vacinação contra gripe influenza

Com dias mais frios, o mês de maio costuma registrar inúmeros casos de gripe, incluindo uma grande preocupação: a gripe H1N1, ou influenza A. Por isso, o governo promoveu e prorrogou a Campanha de Vacinação para crianças de seis meses a cinco anos, pessoas com mais de 60 anos, grávidas e pacientes crônicos. Mas ainda tem muita gente exposta ao vírus que matou quase 500 pessoas no ano passado, sendo 70% em São Paulo.

Clínicas particulares têm se mostrado, então, uma boa opção para evitar quadros mais graves, como orienta Flávia Cristina, coordenadora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde Flávia Cristina, salientando que em Patrocínio os três hospitais oferecem a vacina e mantém salas de imunização.

Vale lembrar que, como o vírus é inativo, não há risco de o paciente ser contaminado por esses tipos de vírus influenza”. Para quem tem mais de 50 anos, a especialista recomenda tomar a vacina contra gripe conjugada com a vacina contra pneumonia pneumocócica (PCV13) – conhecida mundialmente como Prevenar. “É muito importante que adultos saudáveis previnam-se também contra a pneumonia, já que os casos dessa doença também se multiplicam nos meses de outono e inverno.”

Com a queda de temperatura, as pessoas costumam se aglomerar em espaços fechados, com pouca ventilação. E é justamente nesses lugares que o contágio pelo vírus da gripe costuma ser maior, como salas de aula, transportes públicos etc.

Além da vacina trivalente e da PCV13 (para quem tem mais de 50 anos), a médica recomenda lavar as mãos várias vezes ao dia, preferir ambientes arejados, evitar tossir na direção de outras pessoas e, se possível, evitar trabalhar ou ir à escola se estiver muito gripado.

“O paciente deve consultar um médico em caso de febre persistente, dores no corpo, tosse, cansaço e inapetência, a fim de ser medicado corretamente. Jamais deve confiar em receitas caseiras ou automedicação, porque, em caso de ter contraído a gripe A, é importante ser medicado com Tamiflu nas primeiras 48 horas”.

Ainda com relação à vacinação, vale dizer que mesmo quem está resfriado pode tomar as vacinas. Para quem tem dúvida se está com gripe ou resfriado, a médica aponta a diferença: “Dores leves na região da cabeça e nuca, irritação na garganta, coriza e obstrução nasal são comuns em resfriados. Quando o quadro é bem mais intenso, com ocorrência de febre alta, pode ser gripe. Quem apresenta quadro de febre é aconselhado a postergar a vacinação por alguns dias. A única contra-indicação à vacina trivalente é alergia a ovo”.

(Luiz Cabral/Difusora)