24/02/2014

Betinho pede ‘união’ para solução dos alagamentos em Av

Para o vice-prefeito Roberto Queiroz do Nascimento, a ação impetrada na justiça por um grupo de moradores da Avenida João Alves do Nascimento, contra a sua canalização é apenas uma tentativa de atrasar as obras.

Questionado sobre a possibilidade de o município perder os 19 milhões de reais a fundo perdido, já aprovados pelo Ministério das Cidades para a realização das obras, Betinho foi enfático, “Também sou a favor de fazermos as obras de canalização com o canal fechado!”, diz.

Mas o vice-prefeito salienta que já foram feitas reuniões com técnicos do Ministério e com a Caixa Econômica Federal que só aprovam o projeto de canalização a céu aberto, o que, os chamados “Amigos da João Alves”, não concordam.

“Temos que ter a consciência de que qualquer obra de melhoria na Avenida João Alves do Nascimento hoje seria jogar dinheiro fora, pelo ralo. Ela não comporta mais qualquer obra paliativa e sim uma obra definitiva, como proposto no projeto aprovado pelo Ministério das Cidades”, conclui Betinho. Ele diz que o município não pode se dar ao luxo de perder 19 milhões de reais a fundo perdido.

Betinho propõe o entendimento entre a Administração e os que são ‘do contra’, para que haja um grande entendimento. “Podemos fazer as obras como determina o governo federal e posteriormente buscar soluções técnicas, que possibilitem tamparmos o carnal aberto, fazendo uma pista de caminhada ou mesmo jardins suspensos no local, entre outras alternativas. O que não podermos e perder esses recursos”, contemporiza Nascimento.

Segundo o prefeito Lucas Siqueira, a Procuradoria Geral do Município busca solucionar a questão jurídica o quanto antes enquanto aguarda a licença ambiental final, para que as obras possam ser iniciadas até o final de junho, antes do início do processo eleitoral desse ano.

(Luiz Cabral/Difusora)