11/01/2011

Chuvas em Patrocínio: índice pluviométrico no município em 2010 foi abaixo da média

O índice pluviométrico do mês de dezembro em Patrocínio, no cerrado de Minas Gerais, foi de 210,0 milímetros, abaixo da média histórica de 1961 a 1990 para o município, que é de 276,5 mm.

A evapotranspiração acumulada no mês, pela equação de Thortwaite & Mather, foi de 93,4mm em Patrocínio. O enfolhamento é de 98,0%. A temperatura média no período foi de 22,9C, acima da média histórica de 1961 a 1990, que é de 21,7 graus.

A temperatura máxima absoluta foi de 33,8C e a mínima de 17,2C. Quanto ao crescimento vegetativo, 5,1 nós por ramo foi o crescimento médio anotado.

Em relação especificamente a doenças, o índice médio de infecção por ferrugem nas lavouras amostradas foi de 7,4%, variando de 7,0% a 10,0%.

A infecção por cercóspora na região teve média de 5,6%. Quanto a phoma, 5,8% foi o índice de infecção média. A Fundação PROCAFÉ alerta que deve ser efetuado o monitoramento e controle em locais propícios ao ataque da doença.

O bicho mineiro teve ataque médio de 3,3%, devendo-se efetuar o monitoramento de adultos e larvas vivas, principalmente em lavouras novas para verificar a necessidade de controle.

O ácaro vermelho não teve incidência, enquanto para a broca, deve-se efetuar o monitoramento e a aplicação de inseticidas específicos quando constatada a ocorrência.

Alerta Geral

– O regime pluviométrico ficou abaixo da média histórica, porém superior a evapotranspiração, dispensando o uso de irrigação.

– O acumulado de chuvas no ano de 2010 ficou ligeiramente abaixo da média histórica.

– Os índices de ferrugem e cercóspora nas lavouras amostradas sem controle, apresentam-se elevados, sendo recomendado o uso imediato de fungicidas foliares curativos. O controle da ferrugem via fungicidas de solo já não é mais recomendado.

– A partir do mês de janeiro deve-se efetuar o monitoramento da broca, com aplicação de inseticidas específicos, quando constatada a ocorrência. Em determinadas áreas na região de Patrocínio, já se encontram índices médios de 1,5 a 2% de brocas vivas.

– Constatou-se redução no ataque de bicho mineiro em relação ao mês anterior. É recomendado o monitoramento de larvas vivas, principalmente em lavouras novas, para realizar o controle quando necessário.

Assessoria Acarpa