06/03/2014

Desocupação do Mercado Municipal poderá ser ‘litigiosa’

A imbróglio da desocupação do Mercado Municipal para, segundo informações do prefeito Lucas Siqueira, a instalação de um Centro Tecnológico – uma faculdade pública que irá oferecer cursos superiores, tecnológicos, de pós-graduação e de mestrado, todos gratuitos e a distância – , poderá não ser tão tranquila quanto aparenta ser.

Segundo informações veiculadas na mídia local, alguns inquilinos ainda permanecem no local e não entregaram as chaves das lojas para que o espaço possa ser remodelado para receber o empreendimento educacional.

Ação na Justiça

Falando à mídia rangeliana, cidade e zona rural, o prefeito foi taxativo, “Todos os pequenos empresários que ocupavam (o Mercado) já sabem do tempo que têm para a desocupação. Aqueles que insistirem em permanecer serão acionados na Justiça.” – sentenciou.

O prefeito revelou que dois dos ocupantes não haviam sido notificados junto com as demais e que, agora, a prefeitura deverá aguardar o prazo legal de 30 dias para a saída, “Caso isso não aconteça será dada entrada a uma ação de reintegração de posse do mercado para a Prefeitura.” – afirmou Siqueira.

Três meses

Em meados do ano passado a ocupação desordenada do local chamou a atenção e passou a ser questionada por alguns setores da comunidade rangeliana. Dentre vários absurdos, rumores davam conta de vários ocupantes não estariam pagando aluguéis por suas salas.

Outra denúncia era de que a ocupação do espaço comercial estaria sendo feita de forma desordenada e sem critério. Algumas salas foram incorporadas a outras sem nenhuma autorização neste sentido e vários espaços estão sendo usados simplesmente como depósito.

Para quem não se lembra, o Mercado Municipal foi revitalizado pela administração Betinho/Eduardo Arantes em 2000. Mas, porém, todavia, contudo e entretanto, com o tempo, o local foi perdendo sua finalidade e abrigando empresas privadas de diversos setores, principalmente do ramo de confecções.