11/11/2009

Emenda coletiva baixa valor do empréstimo do ‘Caminhos da Escola’ para R$ 3 milhões. Projeto poderá ser reapresentado na semana que vem

Mesmo sem estar na pauta da 31ª sessão ordinária da Egrégia e Augusta Casa de Leis rangeliana, que aconteceu na noite desta terça-feira (10), o projeto que autoriza o Executivo a contrair um empréstimo de 10 milhões de reais para renovação da frota do transporte escolar foi o destaque da reunião.

Preocupada com a situação de vários alunos, depois que o Ministério Público determinou à Polícia Militar mais rigor nas fiscalizações, principalmente quanto a lotação e a exigência da presença de um monitor em todos os veículos, a sra Maria Cristina da Silva se inscreveu no Grande Expediente e fez uso da palavra, cobrando uma solução para o problema.

O depoimento da dona de casa foi o ‘start’ necessário para o início de um acirrado debate. De um lado os vereadores Alberto Sanarelli, Cássio Remis e Cláudio Alcântara se revezaram em defender a necessidade aprovação do projeto, reconhecendo a necessidade de que os alunos fossem atendidos a contento.

“Sou a favor da aprovação do ‘Caminhos da Escola’, pois este projeto é a oportunidade de oferecer melhores condições de transporte e segurança aos alunos de frequentarem a Escola, mas entendo a importância do governo municipal valorizar os empresários do transporte escolar que estão prestando um serviço de qualidade no município. A grande maioria dos ônibus que estão rodando estão em boas condições. O maior problema que estamos enfrentando é a superlotação dos carros.” – disse o vereador e líder do governo 23 na Casa de Leis, Alberto Sanarelli.

Do outro lado os vereadores dr. Ari, Aleir Donizete e Joel de Carvalho foram contundentes ao defender o bom senso na aprovação de um valor tão alto para um município assumidamente ‘quebrado’.

“O prefeito esteve recentemente aqui na Câmara e mostrou que o município deve hoje algo em torno de 100 milhões de reais, dos quais mais da metade são de empréstimos de administrações anteriores. E o engraçado é que aprovamos recentemente um empréstimo de mais de 7 milhões de reais para obras de saneamento básico nos distritos sendo que os municípios da região conseguiram esse recurso a fundo perdido. Nós estamos aqui mostrando um sinal de alerta ao Executivo. É preciso bom senso do governo municipal para que essa prefeitura não fique inadiministrável em bem pouco tempo.” – disse o vereador José de Arimatéia (PHS).

O vereador Aleir Donizete foi mais além, “Esse projeto deu uma canseira danada e ao que parece vai dar ainda mais. Não tem como endividar ainda mais um município que está quebrado. E o pior, o prefeito que aí está quer é fazer uma dívida para os outros pagarem. E ao que parece, esse assunto está voltando na Câmara por pressão do secretário de Trânsito e Segurança, que dá ‘birra’ toda vez que ele é reprovado. Esse secretário tem é que olhar mais para o trânsito e para a segurança da cidade, que são os maiores problemas que Patrocínio vive hoje, e não ficar fazendo pressão para aprovar um projeto de 10 milhões para comprar ônibus, que isso não é da sua alçada. Quer melhorar a qualidade do transporte escolar no município? É só valorizar os empresários que já estão prestando o serviço. Faça uma licitação com prazo maior e exija deles que coloquem veículos de qualidade e monitores.”

O vereador Joel de Carvalho (PP) foi contundente, “Durante o governo passado, quando o secretário de Trânsito e Segurança Alcides Dornelas era vereador e presidente da Câmara ele encomendou da Amadeus Consultoria um parecer sobre as contas do governo Júlio Elias quando, na oportunidade, o ex-prefeito estava requisitando uma autorização de empréstimo. Na época o parecer foi contrário e o empréstimo foi negado. Agora, vivenciando uma situação parecida ele quer fazer pressão, colocar a população contra o Legislativo, para que a Câmara aprove um empréstimo de R$ 10 milhões de reais para um governo nas mesmas condições ou até pior que o anterior. Isso é uma incoerência. Aliás, incoerência é o que não falta no governo que aí está.”

Durante o seu pronunciamento, o vereador Joel de Carvalho sugeriu, “Eu não sou contra oferecer um transporte de qualidade aos estudantes, mas acho que, se o governo quer resolver o problema, sem politicagem, sem desemprego, eu lanço aqui uma sugestão. Vamos fazer uma emenda a esse projeto. Que o valor seja baixado para R$ 3 milhões e que o prazo para pagamento seja diluído entre os meses que faltam para o final da atual administração. Se o prefeito aceitar, eu sou a favor da aprovação desse empréstimo.”

No final da tarde desta quarta-feira (11), os vereadores Humberto Donizete, Marcilene Jacinto, dr. Ari, Aleir, Salitre e Joel de Carvalho protocolaram uma emenda coletiva baixando o valor do empréstimo de R$ 10 milhões para os R$ 3 milhões e que o pagamento seja feito dentro do governo atual. O prefeito já foi oficiado para que, caso haja interesse, reapresente o projeto na próxima terça-feira (17).