07/11/2010

Enem 2010: MEC estuda novo exame para quem respondeu prova amarela com erro

O Ministério da Educação estuda a aplicação de um novo exame para os candidatos que receberam a prova amarela com problemas de impressão no sábado. O MEC calcula que 20 mil provas amarelas de sábado tenham tido erros, como a repetição ou a ausência de questões.

Dessas, nas estimativas preliminares, cerca de 18 mil teriam sido substituídas no decorrer do teste. Outras duas mil, porém, não teriam sido trocadas, causando problemas irreversíveis aos candidatos na hora da correção.

Candidatos vítimas de outro erro, a inversão dos cabeçalhos nos cadernos de respostas, poderão pedir correção a partir desta quarta-feira.

Segundo o MEC, o novo teste (exclusivamente para quem teve problemas com questões repetidas ou ausentes, e não para os erros no gabarito) poderá ser aplicado nos dias 6 e 7 de dezembro, quando será realizado o Enem para presídios.

A mesma solução de uma prova adicional foi adotada no Enem 2009 em municípios do Espírito Santo onde o exame não pôde er aplicado por causa das chuvas.

Levantamento preliminar realizado pelo MEC constatou que as 20 mil provas de cor amarela com problemas de impressão foram distribuídas em sete estados, entre eles Santa Catarina, Paraná e Distrito Federal.

As falhas encontradas na prova amerla foram questões repetidas e ausência de questões. No total, as provas deveriam ter 90 questões, 45 de ciências humanas e 45 de ciências da natureza.

O Enem é igual para todos os candidatos, mas, por questão de segurança, a ordem das questões é diferente. Assim, quatro modelos de prova, cada um numa cor, são distribuídos no país. Ontem, as cores dos testes eram amarela, branca, azul e rosa. Quando detectado o erro, houve substituição dos cadernos, segundo o Inep e relatos de candidatos.

REDES SOCIAIS

Ao longo deste domingo, usuários do Twitter e do Facebook disseram estar atualizando suas páginas nas redes sociais direto das salas de provas, o que configuraria uma grave infração às regras de segurança.

Como resposta, o Ministério da Educação ameaçou, por meio do Twitter oficial do órgão (@MEC_Comunicacao), processar estudantes que “tumultuaram” o Enem 2010 através das redes sociais.

Com linguajar inapropriado, a assessoria de comunicação do MEC diz que está monitorando os candidatos: “Alunos que já ‘dançaram’ no Enem tentam tumultuar com msgs nas redes sociais. Estão sendo monitorados e acompanhados. Inep pode processá-los”. Mais cedo, mensagens na rede social teriam sido enviadas por alunos que ainda estavam dentro da sala de prova do Enem, por celular.

No final da tarde, o ministério acionou a Polícia Federal (PF) para investigar a atuação de um repórter do “Jornal do Commercio” de Pernambuco, que tuitou do banheiro de um dos locais de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) o tema da redação, um dos testes aplicados neste segundo dia de prova.

De acordo com a assessoria do MEC, a PF foi acionada porque o repórter teria tentado violar o sistema de segurança, por fazer uso de um aparelho celular, e revelar o tema da redação antes do prazo mínimo de permanência dos candidatos no local de prova.

A contraofensiva do ministério se segue às ameças de candidatos de todo o país, que estudam recorrer à Justiça contra os problemas ocorridos na prova de sábado.

GABARITO OFICIAL

O gabarito oficial do Enem só será divulgado na próxima terça-feira. Os resultados do exame sairão até 15 de janeiro de 2011, de acordo com o Inep. O site do GLOBO traz a correção on-line.

O Globo