10/02/2020

Expocaccer realiza mais uma edição do workshop Elas no Café

Em sua quarta edição, o Workshop Elas no Café promoveu uma semana inteira de conhecimento e interação entre as participantes e o mundo do café. O evento idealizado e realizado pela Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado – Expocaccer ocorreu de 03 a 07 de fevereiro e contou com uma programação diversificada que uniu conteúdo teórico e prático, abrangendo toda cadeia produtiva do café – da lavoura até a xícara.

O Workshop é fruto do Programa Elas no Café – Programa da Expocaccer dedicado ao público feminino– efoi criado há 4 anos com o objetivo de promover e reconhecer o importante e crescente papel desempenhado pelas mulheres no mundo da cafeicultura.

“O Elas no Café é um projeto para aproximar ainda mais a mulher com a realidade do café que é um mundo muito amplo. No grupo há mulheres que produzem eque não produzem café, que desejam compreender mais sobre os negócios e processos que envolvem a cafeicultura. A Expocaccer tem diversas cooperadas e muitas delas já foram selecionadas, classificadas e premiadas nos principais concursos de qualidade de café do Brasil, não por estar acompanhando seus maridos e filhos, mas por elas mesmas estarem produzindo. O Workshop Elas no café une os segmentos social e da produção, os quais as mulheres estão inseridas.” Coloca o Diretor Superintendente da Expocaccer e um dos palestrantes do evento, Simão Pedro de Lima.

Com carga horária de 20h, o curso ofereceu às participantes uma programação que incluiu apresentação da história do café na Região do Cerrado Mineiro, case de sucesso da Supervisora Agrícola da Nestlé, Thaisa Herzog, cursos técnicos (teóricos e práticos), estudo das metodologias de Classificação Oficial Brasileira (COB) e Specialty Coffee Association of America (SCAA), processos de torra e harmonização do café e visita à fazenda modelo ea grande novidade que foi ocurso de técnicas de latteart (figuras na superfície de bebidas feitas à base de café espresso).

Para Thaisa Thomazini Herzog, Supervisora Agrícola da Nestlé, sua participação ao evento ratificou a importância da representatividade da mulher nos diversos segmentos.“O Elas no Café se enquadra numa iniciativa muito presente na Nestlé que é valorizar a sucessão familiar e também o empoderamento das mulheres, e receber o convite para participar da abertura do workshop foi muito especial, pois como a primeira mulher Engenheira Agrônoma da Nestlé Brasil, poder compartilhar um pouco da minha experiência e história de vida para estas mulheres é também poder contribuir para o fortalecimento do importante e crescente papel delas não apenas na cafeicultura, mas onde elas quiserem.”

“Embora sempre estivessem presentes nas lavouras ao longo de mais de dois séculos, o reconhecimento do protagonismo feminino é recente. O Elas no Café promoveu às participantes um conhecimento amplo e atualizado com o mundo dos cafés especiais, desde as etapas da cadeia produtiva do café, passando pelos processos de classificação, degustação, torra e harmonização, atéà troca de experiências pessoais e profissionais que também enriqueceram o workshop.”Ressalta a Trader de Cafés Especiais da Expocaccer,Sandra Moraes.

Ao todo, foram 16 mulheres inscritas no workshop. Devido à grande procura, o número de vagas teve que ser ampliado, de modo a atender a demanda que inicialmente, era de 12 inscrições. “Tivemos um retorno muito positivo e isso nos fez pensar em realizar novos workshops pelo Programa Elas no Café, todos voltados para a capacitação de mulheres que desejem ampliar seus conhecimentos sobre o mundo do café”. Afirma Sandra Moraes.

O workshop é a primeira de muitas ações que serão desenvolvidas pela Expocaccer, exclusivamente para o público feminino, por meio do Programa Elas no Café, incluindo o evento “Mulher & Café” que,em celebração ao dia internacional da mulher, já tem previsão para ser realizado em março deste ano.

SUCESSÃO FAMILIAR
De mãe para filha. O Workshop Elas no Café promoveu ainda a parceria no conhecimento entre duas gerações da mesma família. É o caso da Claudia Beloni e sua filha Pietra Beloni, de 15 anos. “Faço parte de uma família produtora de café, mas sempre fui responsável pela parte administrativa e financeira. Nunca tive conhecimento aprofundado sobre a produção de café. A cafeicultura é apaixonante e foi essa paixão que me despertou a vontade de conhecer mais sobre o assunto. O Elas no Café foi uma experiência incrível e enriquecedora que trarei para a vida profissional e pessoal.”, conta Claudia Beloni.

A paixão de Claudia pelo café despertou também na filha o interesse em se aprofundar no assunto. “Eu sempre gostei de ir à fazenda com meu pai. Sempre gostei do contato com o mundo do café. O curso me despertou a vontade de levar o café para a minha vida. Eu achava que café era tudo igual, não sabia que tínhamos que sentir, cheirar e nem que tinha o contragosto, os aromas e os sabores. Aqui eu aprendi coisas que eu ainda não havia tido contato e talvez demorasse um pouco mais para saber.”, afirma Pietra.

DESAFIO COLHER DE OURO
Ao final do Workshop as mulheres participaram do “Desafio Colher de Ouro”, um campeonato de Cup Tasters onde cada participante provou três cafés e buscaram identificar os cafés com nuances diferentes (triangulação).

Para participar do campeonato cada integrante teve que colocar em prática todos os conhecimentos teóricos e práticos adquiridos durante a semana. Venceu aquela que mais identificou diferença cafés diferentes nas provas de triangulação.

PROGRAMA ELAS NO CAFÉ
A Expocaccer acredita e valoriza a crescente força e representatividade da mulher no negócio café,reconhecendo a competência, atenção e o cuidado com que elas realizam as atividades, independentemente da etapa da cadeia produtiva em que estejam inseridas.

Diante desta realidade, a Expocaccer criou o Programa Elas no Café que visa promover o potencial empreendedor e inovador feminino, se dedicando a aproximá-las cada vez mais do mundo da cafeicultura.

“O Elas no Café é uma forma de valorizar os diferenciais do ser feminino, especialmente a visão e a sensibilidade com as quais elas conduzem a vida. Isso tudo dá um conjunto de novas atitudes a um produto que é tradicionalmente masculino, proporcionando mudanças que melhoram ainda mais o universo do café, pois onde entram as mulheres,tudo melhora.”- conclui o Diretor Superintendente da Expocaccer, Simão Pedro de Lima.

( ASCOM – Expocaccer )