05/03/2014

Fraternidade e Tráfico Humano | Campanha da Fraternidade

Todos os anos, no período da quaresma, a Igreja Católica lança a Campanha da Fraternidade com um tema novo. O Objetivo é despertar nos fiéis a solidariedade acerca de determinado problema vivido pela sociedade. Este ano, a campanha vai trabalhar o tráfico humano como tema.

Durante o período da campanha, os católicos vão estudar e escolher as ações de combate ao trabalho escravo a partir deste tema.

Um dos subsídios para a campanha é um cartaz com mãos acorrentadas, sendo que cada uma delas tem um significado. De acordo com a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos no Brasil).

“O cartaz quer refletir a crueldade do tráfico humano. As mãos acorrentadas e estendidas simbolizam a situação de dominação e exploração dos irmãos e irmãs traficados e o seu sentimento de impotência perante os traficantes. A mão que sustenta as correntes representa a força coercitiva do tráfico, que explora vítimas que estão distantes de sua terra, de sua família e de sua gente”.

A primeira mão acorrentada faz alusão ao trabalho escravo e, apesar de terem mudado os tempos, os índices mundiais assustam. De acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho), no mundo todo mais de 12,3 milhões de pessoas são vítimas de trabalho forçado e mais 2,4 milhões foram traficados. A segunda mão faz alusão ao tráfico de órgãos.

A terceira se refere ao tráfico de mulheres, que são retiradas de perto de suas famílias para serem exploradas sexualmente e a quarta mão é a mão de uma criança, representando as crianças que são raptadas e traficadas mundo afora.

(Luiz Cabral/Difusora com informações da CNBB)