13/02/2014

Justiça interdita ‘Arca’ em Patrocínio; Dr. Serlon explica

A Justiça determinou na última segunda-feira (10), a interdição da instituição “Acolhimento Referenciado à Criança e Adolescente” (Arca) de Patrocínio.

O local, que abriga menores em situação de risco, era mantido por voluntários da iniciativa privada mas foi municipalizado durante a administração 2009/2012.

A decisão da interdição partiu do juiz Serlon Silva Santos e teve como base uma denúncia de irregularidades apontadas pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Na manhã desta quinta (13), dr. Serlon convocou a imprensa para explicar o imbróglio.

Situação degradante

Segundo o juiz da Vara Criminal e da Criança e Adolescente, as crianças do abrigo estão em situação degradante por falta de uma estrutura mínima. A sensação, segundo ele, é de elas estariam sendo punidas como se fossem infratores, o que não é o caso para esses internos, pois são crianças que necessitam de acolhimento.

A sentença determina a transferência de todos os menores em no máximo 30 dias para um local adequado e ainda prevê multa diária de R$ 5 mil por criança caso não seja cumprida a determinação judicial. A administração municipal ainda não se manifestou sobre o assunto.