26/03/2020

Mexidas políticas agitam política rangeliana na qu4rentena

Z|E|N
Na última quinta-feira (19), no limiar da pandemia de coronavirus, o grupo político de Gustavo Brasileiro se reuniu presencialmente com Nikolas Elias.

O objetivo do encontro, tentar convencer o jovem médico veterinário a se desfiliar sumariamente do PSDB do advogado e ativista político Cássio Remis.

A iniciativa, entretanto, não logrou êxito. Dentre várias respostas, o filho do dr Elias José Abrão Neto (in memorian) e da ex-vereadora Marta Elias teria afirmado que tem personalidade política e objetivos próprios, diferentes dos da irmã.

O impacto da negativa foi mais uma ducha de água fria nas pretensões de Gustavo Brasileiro em se candidatar a prefeitura de Patrocínio com apoio maciço de toda oposição rangeliana.

E para piorar, GB levou ontem (25) mais um duro golpe. A saída do tio Silas do PMDB, partido no qual Gustavo acaba de se filiar, desidratou ainda mais o projeto político/eleitoral do jovem Brasileiro.

No frigir dos ovos, as estratégias utilizadas por Gustavo Brasileiro tem ajudado a fortalecer tanto o grupo político de Deiró Marra – que pode ter encontrado em Silas o seu vice ‘ideal’ -, quanto o PSDB de Cássio Remis.

Este último, além de uma chapa de vereadores completa já montada e (quase) enviada ao TSE, tem 4 figuras emblemáticas que podem inclusive compor entre si uma chapa pura para o Executivo.

Dr Ari, Cássio Remis, Nikolas Elias e Fausto Amaral da Fonseca.