17/05/2010

No rádio, vereador tropeça nas palavras e escolhe a agressão para justificar parceria Prefeitura, o Santo André e o PFC

No final da manhã desta segunda-feira (17), no Jornal da Módulo FM, o vereador Cássio Remis bem que tentou, mas não conseguiu dar (no bom sentido, lógico!) informações precisas e concisas sobre a parceria entre a Prefeitura, o Santo André e o PFC, agora representado pelo seu presidente, o empresário Maré Lízio Jacinto.

Ao ser questionado sobre o imbróglio, o vereador acabou desvirtuando o assunto e, numa atitude extremamente antidemocrática, partiu para a agressão contra aqueles que – ao que parece – não comungam com a sua opinião:

“Está sendo criada em Patrocínio a associação ‘amigos do futebol profissional’ (?), que é para inviabilizar o futebol profissional em Patrocínio. Pessoas que estão querendo de toda maneira ‘tripudiar’ (?) as informações, buscando inviabilizar o projeto.” Atenção vereador: o sentido do verbo ‘tripudiar’ – que significa ‘humilhar’ – não cabe de maneira alguma na frase proferida por vossa excelência.

“Eles ficam contestando a presença do Valterson (Silva) no projeto. Inclusive, uma das restrições dele (Valterson) para aceitar o convite é esse tipo de comentário. A pessoa assume o esporte hoje e amanhã eles falam assim, oh, ele tá recebendo salário, ele vai ganhar tanto, ele foi envolvido em tanto, ele trocou de carro ele tá tirando é do futebol. Ele ficou rico depois do futebol. Mas podem ter a certeza que o Valterson já está bem ‘declinado’(?) para ser o novo integrante da diretoria do Patrocínio Futebol.”

Em tempo, aqui vão dois comentários ’em cima’ (no bom sentido) dessa afirmação: Primeiro, informamos ao nobre vereador que ‘declinar’ significa recusar, rejeitar, negar, não aceitar. Então, se o vereador diz em sua fala que o empresário Valterson Silva declinou do convite quer dizer que ele (Valterson) se recusou a assumir tal compromisso. Aprenda, vereador… Para um homem público, não saber o real significado das palavras, usando-as somente por serem ‘bonitas’ ou ‘impactantes’, é um erro fatal..!

Segundo, é bom frisar que a informação de que o cargo de diretor de futebol do PFC, oferecido ao empresário Valterson Silva seria remunerado surgiu no sábado (15), durante um debate promovido pela Difusora AM, do qual participaram, além da equipe de esportes da emissora, o secretário municipal de Esportes & e Lazer, Marcos Remis, e o subsecretário da pasta Christiano Romão…

Mais a frente o vereador sentenciou, “Nós vamos ter (o futebol profissional) sim! Não adianta esses ‘do contra’ querer por pecha que aqui não vai ter rolo, num vai ter cambalacho, por isso que a coisa vai dar certo. O futebol profissional vai realmente ‘se vingar’ no município.” (neste caso, mais um erro, pois a conjunção ‘se’ não cabe no contexto do verbo ‘vingar’ na formulação da frase!).

Num tom ameaçador – que infelizmente está se tornando uma constante -, o vereador vociferou, “No momento certo não vai ser eu não, vai ser o prefeito que vai apontar quem são os ‘do contra’, os inimigos do futebol profissional no município.”

Perguntado sobre o prazo de validade do contrato entre o Santo André, a prefeitura e o PFC, agora representado pelo seu presidente Maré Lízio Jacinto, o vereador disse que no contrato não reza prazo de vigência, “Enquanto tiver dando certo a parceria será mantido o futebol através do Santo André Futebol Clube e do Patrocínio Futebol Clube. Nós vamos ter esse futebol profissional aí é por muito tempo, podem tirar o cavalinho da chuva, vai ser por muitos anos mesmo.”

No site oficial do guverno 23 na Internet, Ricardo Navajas, coordenador técnico do Santo André, disse que “O prazo do contrato é para o próximo semestre, para disputar o campeonato da 3ª divisão, buscando o objetivo de subir para a 2ª, e após esse período o contrato poderá ser renovado.” Experiente, Navajas sabe que no futebol – assim como na política – não há como fazer planejamento contando certo com a vitória…