30/09/2010

Numa mega operação da PM, Justiça Eleitoral apreende mais materiais irregulares de Júlio Elias

Mais de 10 carros da PM e dezenas de policiais estiveram envolvidos numa mega operação eleitoral no final da tarde desta quinta-feira (30.set) em Patrocínio, no pseudo comitê eleitoral do ex-prefeito Julio Elias e do candidato a deputado federal Marcos Montes, localizado na Praça Santa Luzia esquina com a Rua Elmiro Alves.

No local foram apreendidos vários materiais irregulares de campanha, principalmente camisetas contendo o número do candidato. O material tem a sua utilização vedada pela Justiça Eleitoral. Estima-se que mais de 120 pessoas foram detidas durante a operação.

CANDIDATURA IMPUGNADA

Vale ressaltar que o ex-prefeito Júlio Elias teve a sua candidatura a deputado estadual impugnada através do Parecer número 9633/2010 da Procuradoria Geral Eleitoral. O Recurso Especial Eleitoral protocolado pelo seu partido, o PSL, foi considerado ilegítimo e pedido o indeferimento pela Vice-procuradora-Geral Eleitoral Sandra Cureau (Nas imagens abaixo você pode conferir cópias dos documentos oficiais). O processo encontra-se com o Ministro-relator Marco Aurélio de Mello.

O Parecer a Vice-Procuradora-Geral Eleitoral veio confirmar a decisão do TRE-MG, publicada em 8 de agosto, que já havia indeferido o registro da candidatura de Júlio Elias por improbidade administrativa.

SEM DOCUMENTOS

Quando do início do registro das candidaturas, em agosto, o site Divulgacand2010, que informa dados sobre todas as candidaturas registradas no território brasileiro, já mostrava que Júlio Elias não havia apresentado sua declaração de bens e nem as certidões criminais, documentos essenciais no protocolo de qualquer candidatura e, ainda, possui sentença colegiada condenatória, que o inclui no rol de inelegibilidades. Mesmo indeferido e sem os requisitos exigidos pela Justiça Eleitoral, o ex-prefeito ainda recorreu ao TSE.

DIREITOS POLÍTICOS CASSADOS

Se confirmado o indeferimento da candidatura de Júlio Elias por improbidade administrativa, tudo leva a crer que o ex-prefeito incorrerá na lei do ‘Ficha Limpa’, ou seja, terá seus direitos políticos cassados por oito anos. Caso se confirme a decisão, Júlio Elias poderá agora se candidatar somente nas eleições de 2020.

A eleição ainda terá dois candidatos patrocinenses a deputado estadual, Deiró Marra e Romeu Queiroz.