25/05/2011

Pinga-fogo: A cada reunião ordinária cresce o nível de estresse entre os vereadores

Faltando pouco mais de um aninho para as eleições majoritárias, o clima anda tenso na Câmara Municipal. Não só nas ordinárias (mas principalmente durante elas) é possível notar o elevado nível de estresse que permeia na edilidade mel rangeliana.

Assuntos de interesse da comunidade são deixados de lado e uma só preocupação parece ser comum a (quase) todos os vereadores, o que vai sair (ou o que poderá sair) na imprensa nos dias subseqüentes à reunião.

Na noite desta terça-feira (24.mai) essa preocupação ficou patente e veio a tona num diálogo pouco amistoso entre os vereadores Bebé (PRTB) e o presidente Sanarelli (PPS). Do plenário, Bebé conversava com um cidadão que estava sentado nas galerias quando foi chamado a atenção pelo presidente Sanarelli. Segundo o presidente, Bebé estaria descumprindo o Regimento Interno.

Ao microfone, Bebé contestou. “Sr. Presidente, se for para cumprir a ferro e fogo o Regimento Interno então vamos fazer a coisa direito. Tem vereador aqui que tem direito a um aparte de 5 minutos e fala mais de meia hora. Os vereadores têm que usar da palavra de frente para Vossa Excelência mas fazem ao contrário, falam olhando para as galerias e principalmente olhando para a sala de imprensa. Venhamos e convenhamos Sr. Presidente, o senhor não pode usar de dois pesos e duas medidas.” – registrou Humberto Ferreira.

Algum tempo depois, ao comentar algumas matérias publicadas na imprensa escrita que segundo Sanarelli são pagas pelo vereador Cássio Remis para denegrir a sua imagem, o presidente foi contundente.

“Se o senhor continuar a usar deste expediente para tentar denegrir minha imagem eu vou começar a utilizar do site da minha esposa, o Patrocínio On Line, e também pagar os jornais da cidade para fazer o mesmo.”

A reunião acabou tarde, quase meia-noite. A demora foi motivo de uma crítica velada que partiu do líder comunitário do Bairro Nações, Sr. Paulo Sangiovanni, inscrito no Grande Expediente para falar do descaso da prefeitura para com o bairro, “Eu estou aqui para falar do que está acontecendo com o meu bairro, mas podem ficar tranqüilos que eu não vou demorar como vocês demoram para fazer isso não.”

Durante a ordinária os vereadores alteraram o projeto do prefeito e mudaram de 6,86 para 8,36 o percentual de aumento dos funcionários públicos municipais. A ordinária teve que ser suspensa por dez minutos para que os pares chegassem a um consenso.

O processo será enviado para o prefeito Lucas Siqueira que, segundo o Patrocínio On line, deverá sancionar índice salarial proposto pela Câmara. Quem viver…