16/09/2009

Prefeito diz que encontro com Silas Brasileiro não foi ‘político’

Em recente entrevista ao repórter Jânio Luiz, da Módulo FM, o prefeito Lucas Siqueira fez questão de salientar que sua reunião com o deputado Silas Brasileiro (da qual também participaram o ex-prefeito Betinho e o ex-deputado Romeu Queiroz) não foi uma reunião política.

Leitor(a), analise bem, se um encontro a portas fechadas entre Romeu Queiroz, Betinho, Lucas e Silas Brasileiro não pode ser caracterizado como uma ‘reunião política’ o que deve ser então..? É o caso de dizer, ‘me engana que eu gosto…’

Bom, segundo Lucas, ele apenas pediu ao parlamentar empenho para a liberação de um recurso de 700 mil reais retido no Ministério da Agricultura e recebeu de Silas a certeza de que seu gabinete em Brasília estará sempre ‘de portas abertas’ para ajudar Patrocínio.

“Tocamos em assunto político, mas não em termos de apoio a um ou outro candidato. Mesmo porque ainda está muito cedo pra isso.” – revelou Siqueira.

O prefeito revelou que, para o ano que vem a democracia na escolha e no apoio a candidatos a deputado estadual e federal vai imperar no governo 23, “O posicionamento na escolha de qual candidato apoiar não vai ser ‘da prefeitura’. O meu posicionamento vai ser enquanto membro do PPS, o meu partido, que vai definir apoio a um candidato. Assim como o Fausto tem plena liberdade dentro do PT para escolher e definir qual é a melhor viabilidade de apoio a candidaturas por parte do PT local.”

“Nós precisamos acabar com essa história que a prefeitura apóia candidato A ou B. O prefeito tem todo direito de apoiar quem ele quiser, ele é um cidadão como qualquer outro… O prefeito, o vice-prefeito, qualquer secretário, qualquer vereador pode apoiar quem quiser enquanto cidadão e enquanto membro de uma organização partidária.”

“Agora, a prefeitura não tem que apoiar nenhum candidato, a prefeitura tem que apoiar todos os candidatos que apóiam Patrocínio, que trabalham por Patrocínio…”

Baseado (no bom sentido, lógico) nesta declaração, o maisumonline desenvolve uma teoria simples e simplória: O deputadoDeiró Marra apóia Patrocínio e trabalha por Patrocínio (isto é incontestável). Sendo assim (e assim sendo), o governo 23 pode (ou será que deve?) apoiar Deiró Marra.