27/02/2009

Queda na arrecadação municipal atinge receita da Câmara

Na manhã desta sexta-feira, 27, o vice-prefeito, Fausto Amaral e a secretária municipal de Fazenda, Edméa Cardoso (ambos do PT), convidaram o presidente da Câmara, vereador Humberto Donizete Ferreira – Bebé, o vereador líder do governo, Alberto Sanarelli Júnior e o procurador jurídico do Legislativo, Luciano Capuano, para uma reunião no gabinete do prefeito.

Do encontro também participou o dr. Adilson Souza, da Amadeus Consultoria.

A notícia que os representantes do PT no governo 23 iriam dar (no bom sentido, lógico!) não era boa. Aliás, era péssima! A sensível redução no repasse do duodécimo para a Câmara Municipal.

Para quem não sabe, o duodécimo é o valor da receita que o Município repassa ao Legislativo para arcar com suas despesas administrativas.

E o estranho é que na foto todos estão sorrindo (se bem que amarelo).

Bom, segundo informações da prefeitura a arrecadação efetiva do ano de 2008 não atingiu a estimativa prevista e, portanto o cálculo do repasse para a Câmara, no percentual sobre o valor da receita líquida, foi refeito e chegou-se a um valor abaixo do valor previsto na lei orçamentária para 2009.

O presidente da Câmara enfatizou ao vice-prefeito que diante das dificuldades financeiras demonstradas com o montante de restos a pagar da administração anterior, bem como na redução da arrecadação dos meses de janeiro e fevereiro, o Legislativo também dará sua contribuição, procurando readequar o seu orçamento a esta nova realidade constatada.

O procurador jurídico, Luciano Capuano, ressalvou que a Administração deveria oficiar a Câmara dessa diferença do repasse para efeitos de readequação no orçamento e prestação de contas ao Tribunal de Contas.

Pra vocês verem como é… E a gente tem que ouvir que ‘O prefeito Júlio Elias realmente deixou a prefeitura em situação confortável”.