04/08/2014

Raio X | Cafeicultura não conseguiu eleger Silas em 2010

Votado em 451 municípios de MG, ex-deputado federal e presidente do CNC, Silas Brasileiro, obteve 62.998 votos nas eleições de 2010.

Como resultado, ficou na terceira suplência da sua coligação.

Durante este mandato legislativo, Brasileiro teve a oportunidade de ocupar uma cadeira na Câmara Federal por aproximadamente 5 meses.

A chance veio após Paulo Piau ser eleito prefeito de Uberaba e Toninho Andrade se afastar do cargo, em novembro de 2013, para ocupar o Ministério da Agricultura e Pecuária de Dilma Rousseff. Mas em abril deste ano, Toninho Andrade teve que se desincompatibilizar do Ministério e voltar a Câmara Federal, para tentar a reeleição. Silas então teve que deixar o cargo.

Leia também Em 2010, 2/3 da votação de Deiró saiu de 5 cidades de MG

Além de Patrocínio, seu domicílio eleitoral – onde recebeu 13.452 votos -, outros 14 municípios deram uma substancial votação a Brasileiro, Unaí (7.707 votos); Paracatu (3.205); Arinos (2.305); Carmo do Paranaíba (2.248); Presidente Olegário (1.973); Monte Carmelo (1.768); Formoso (1.577); Serra do Salitre (1.569); Belo Horizonte (1.272); Lagoa Formosa (1.214); Cristina (1.163); Pará de Minas (1.163); Vazante (1.049); Riachinho (1.034).

Em outras cidades que ocupam posição destacada na produção cafeeira do Estado – como Muriaé, Guaxupé, Nepomuceno, São Sebastião do Paraíso, Manhuaçu, Alfenas, Lavras – a votação de SB deixou muito a desejar.

Em alguns municípios da região – também com vocação cafeeira -, a votação de Brasileiro não foi boa: Coromandel (577 votos); Rio Paranaíba (486); Guimarânia 467; Araguari (446); Patos de Minas (314); Estrela do Sul (282); Cruzeiro da Fortaleza (151); Lagamar (94); Araxá (74); Irai de Minas (86); Ibiá (63); Perdizes (52); Romaria (50); Santa Juliana (31); Abadia dos Dourados (24); Varjão de Minas (17) e Pedrinópolis (2).

Aos 71 anos, Silas vai disputar sua 6ª eleição a deputado federal. Empresário e cafeicultor bem sucedido, Brasileiro acalenta um sonho que nunca escondeu de ninguém… Encerrar sua carreira política como prefeito de Patrocínio, cargo que ocupou de 1989 a 1992.