11/08/2010

Segundo diretora do IBOPE, classes de menor renda já são maioria na Internet

As classes C, D e E já representam a maioria (51,6%) dos acessos à Internet no Brasil, superando a presença de pessoas das camadas A e B (48,4%). Dois terços desse contingente populacional têm cartão de crédito e fazem muita pesquisa de preço antes de decidirem em qual site comprar, informou ontem a diretora de negócios do Ibope, Cris Rother.

Ela esteve em Belo Horizonte para falar sobre o crescimento do mercado da Web, em palestra realizada no Comunica-MG, no Minascentro. O evento discute os negócios do setor de comunicação e publicidade em Minas Gerais e segue até quinta (13).

O levantamento feito pelo Ibope, com base em pesquisas do Interactive Advertising Bureau (IAB Brasil), revelou ainda que, em toda a América Latina, US$ 800 milhões são investidos em publicidade na Internet. Cerca de 70% desse valor no Brasil.

Entretanto, o montante poderia ser bem maior, já que, do volume de recursos destinados à propaganda, somente 4% vão para anúncios na rede, contra 65% da televisão, mídia preferida dos anunciantes.

A participação da Internet é maior (cerca de 20%), quando se calcula o número de links patrocinados dentro dos sites no Brasil. “Perto de R$ 70 milhões são destinados a esses links. É um mercado que ainda pode crescer muito, se analisarmos a força que as classes C e D estão tendo nesse momento”, avalia Cris.

Os dados do Ibope mostram que, em maio de 2010, no país, havia 37,3 milhões de usuários ativos. Em junho, houve alta de 7%, para 39,9 milhões. Em relação ao mesmo mês de 2009, o acréscimo é de 20%.

A pesquisa revela que 86,4% dos brasileiros passaram por redes sociais, mostrando que a maioria da população já teve acesso à Internet em algum momento. “A pergunta aqui não deve ser em qual rede vou anunciar, mas como vou anunciar”, afirma.

Hoje em Dia