07/06/2011

Sucesso marcou a realização da 11ª edição do Fórum sobre Mercado e Política de Café pela Acarpa

O auditório de eventos do Centro de Excelência do Café esteve lotado na manhã desta sexta-feira (3), para a realização do 11º Fórum de Mercado e Política e Café.

O Fórum é um evento que proporciona uma oportunidade única para que todos possam adquirir visão diferenciada sobre o mercado de café, com a participação de gabaritados profissionais do setor.

O objetivo é trazer informações, análises, tendências, para que o produtor possa trabalhar de maneira mais segura e ficar por dentro do que há de mais atual dentro do agronegócio café.

O evento contou com a presença do vice-prefeito Fausto Amaral, o presidente da Câmara Alberto Sanarelli, deputado Paulo Piau, e várias autoridades, produtores, lideranças, empresários do agronegócio café e visitantes.

Foram realizadas 3 palestras e ao final, palestrantes e participantes debateram os assuntos abordados nas apresentações. O deputado Paulo Piau foi o primeiro palestrante, que falou de sua surpresa ao constatar o grande desenvolvimento pelo qual tem passado o município de Patrocínio.

O deputado afirmou que o Código em seu relatório ainda possui deficiências, porém foi o melhor possível a ser feito no momento e ele espera que o Senado possa melhorá-lo para que se tenha maior clareza para que os produtores possam seguir e cumprir a legislação.

Em seguida Sérgio Tristão falou sobre os novos rumos no mercado de café com a palestra: Como Navegar com Ventos Favoráveis. “Olhando os números de disponibilidade de café no mundo e oferta e demanda, a situação do produtor brasileiro em relação ao produtor mundial, é muito confortável. Eu acredito que nós vamos criar um estímulo a produção no mundo todo, não só no Brasil. O mercado é regido pelo medo e pela ganância. O medo faz com que as pessoas se desestimulem e repentinamente precisam do produto e não tem o produto porque ninguém quis produzir. E a ganância é que muita gente vai segurando e produzindo demais, criando uma bolha de ofertas e o mercado cai. Mas o cenário é bom, pelo menos pelos próximos dois anos”. Declarou Sérgio com exclusividade ao Informativo ACARPA.

A última palestra foi da Economista Regina Helena Couto Silva, do Banco Bradesco, que falou sobre as tendências para o consumo de café no Brasil e no mundo. Regina ressaltou a expansão moderada nos países desenvolvidos e aceleração nos emergentes, a expansão do investimento e do crédito, câmbio apreciado e mobilidade social e bônus demográfico. As exportações de café representam 2,8% das exportações brasileiras e o café é o 4º produto mais exportado do agronegócio brasileiro. Declara Regina.

Em todo o Brasil, milhares de eventos promoveram atividades para conscientização e celebração do meio ambiente. Na oportunidade da realização do 11º Fórum, com o plantio de uma árvore, foi comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente, que é celebrado no dia 5 de junho. Cada participante recebeu uma camiseta, onde estava estampada a frase: A mão que planta é a mesma que preserva.

O propósito é que todos explorem essa idéia. Em seu discurso, Marcelo Queiroz ressaltou a importância da comemoração do Dia do Meio Ambiente. “O trabalho de conscientização é demorado, nós como produtores temos por obrigação preservar a título de bom exemplo”.

Marcelo também parabenizou a Federação dos cafeicultores do Cerrado, pelo lançamento da nova estratégia da marca Região do Cerrado Mineiro. “Somos conhecidos por nosso pioneirismo e organização. A nova estratégia com certeza valorizará a origem, o trabalho dos produtores e de toda comunidade no desenvolvimento regional.” – ressalta.

A Diretoria da Acarpa comemora com satisfação os resultados do evento que superou as expectativas com um grande público, além de palestras de alto nível com grande alcance e proveito para os presentes.

Rosângela Lima Reis – ASCOM – ACARPA